A prô pergunta:

Qual a sua maior dificuldade em Português?
Redigir textos
Ortografia
Interpretar textos
Não gostar de ler
Entender a gramática
Letra ilegível
Expressão oral
Não tenho dificuldade
Resultados

quinta-feira, 30 de junho de 2011

A PRESIDENTA?


É correto dizer e escrever:

O PRESIDENTE
A PRESIDENTE
A PRESIDENTA

Assim como:

O CHEFE, A CHEFE, A CHEFA
O PARENTE, A PARENTE, A PARENTA

Mas...

O ELEFANTE E A ELEFANTA!

Jamais... A ELEFOA, pois essa não existe!


segunda-feira, 27 de junho de 2011

PERGUNTADO ou QUESTIONADO?


1o) QUESTIONAR não é PERGUNTAR.

Se você quer saber alguma coisa, PERGUNTE. Quando nós QUESTIONAMOS alguma coisa, estamos “pondo em dúvida”. Nós podemos, por exemplo, “QUESTIONAR o valor de um projeto, uma prestação de contas, a contratação de um jogador de futebol…”

É interessante observar que a diferença só existe entre os verbos. Um conjunto de PERGUNTAS forma um QUESTIONÁRIO. É que ainda não inventamos o “perguntário”.

2o) Só a coisa pode ser PERGUNTADA.

Quem PERGUNTA PERGUNTA alguma coisa (=objeto direto) a alguém (=objeto indireto). Isso significa que, na voz passiva, só a coisa poderia ser perguntada.

Com muita frequência, encontramos nos nossos bons jornais frases do tipo: “PERGUNTADO a respeito do projeto, o deputado…” ou “O delegado foi PERGUNTADO a respeito do crime”. Aqui temos duas frases em que o uso do verbo PERGUNTAR, Segundo a tradição, é inapropriado: nem o deputado nem o delegado poderiam ser “perguntados”. A realidade linguistica, porém, nos prova o contrário. São formas consagradas, e eu as consider caitáveis na lingual padrão.



Em resumo:

1o) “A validade do contrato foi QUESTIONADA” (=posta em dúvida);

2o) “Foi PERGUNTADO ao deputado se ele seria o candidato a prefeito” (=a coisa foi PERGUNTADA ao deputado).

sexta-feira, 24 de junho de 2011

RETICÊNCIAS...




As reticências são usadas nos seguintes casos:

1. Para interromper um pensamento de forma que o leitor subentenda o que seria enunciado ou imagine:

a) Ele disse que não queria, mas...
b) Nada disso teria acontecido se... você sabe.

2. Para indicar hesitações comuns na oralidade:

a) Daí ele pegou...ele pegou...como se diz mesmo...uma boina.
b) Não sei se você vai, mas...mas...não sei...penso que será muito bom!

3. Em trechos suprimidos de um texto:

a) (...) não existe texto incoerente em si, mas texto que pode ser incoerente em/para determinada situação comunicativa. (...) (Ingedore Villaça – A coerência textual)

b) (...) Dada a gravidade dos acontecimentos, em um último gesto, Collor reivindicou que a população brasileira saísse às ruas com o rosto pintado de verde e amarelo, em sinal de apoio ao seu governo. Em resposta, vários cidadãos, principalmente estudantes, passaram a sair nas ruas com os rostos pintados. Além do verde amarelo, utilizaram o preto em sinal de repúdio ao governo. Tal movimento ficou conhecido como “Caras Pintadas”. (…) (Rainer Sousa – “O fim do governo Collor”)

4. Para transmitir mais emoção e subjetividade para quem lê:
a) (...) 'Stamos em pleno mar... Dois infinitos
Ali se estreitam num abraço insano,
Azuis, dourados, plácidos, sublimes...
Qual dos dous é o céu? qual o oceano?...
'Stamos em pleno mar. . . Abrindo as velas
Ao quente arfar das virações marinhas,
Veleiro brigue corre à flor dos mares,
Como roçam na vaga as andorinhas... (...)

(Navio Negreiro – Castro Alves)

Por Sabrina Vilarinho
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola
www.brasilescola.com



segunda-feira, 20 de junho de 2011

OS PORQUÊS

ImageChef Sketchpad - ImageChef.com


PORQUE ou POR QUE ou PORQUÊ ou POR QUÊ?

a) PORQUE = conjunção causal ou explicativa:

“O advogado não compareceu à reunião PORQUE está doente.”

“Feche a porta PORQUE está ventando muito.”



b) PORQUÊ = forma substantivada (com artigo “o” ou “um”):

“Ela quer saber o PORQUÊ da sua demissão.”

“O diretor quer um PORQUÊ para tudo isso.”



c) POR QUÊ = no fim de frase (antes de pausa forte):

“Parou POR QUÊ?”

“Se ele mentiu, eu queria saber POR QUÊ.”

“Quero saber POR QUÊ, onde e quando.”



d) POR QUE

em perguntas (diretas ou indiretas):
“POR QUE parou?”

“Gostaria de saber POR QUE você viajou.”

substituível por POR QUAL, PELO QUAL, PELA QUAL…
“Só eu sei as esquinas POR QUE passei.” (=pelas quais)

“É um drama POR QUE muitos passam.” (=pelo qual)

com a palavra MOTIVO antes, depois ou subentendida:
“Desconheço os motivos POR QUE a viagem foi adiada.” (=pelos quais)

“Não sei POR QUE motivo o advogado não veio.” (=por qual)

“Não sei POR QUE ele não veio.” (=por qual motivo)





sexta-feira, 17 de junho de 2011

HÁ ou A?




HÁ ou A?


1o) “A empresa X mantém HÁ ou A quatro anos contrato com o cliente Z” ?

2o) “Estamos trabalhando HÁ ou A 150 dias sem acidentes com afastamento” ?

Nos dois casos, devemos usar HÁ: “…mantém HÁ quatro anos…” e “Estamos trabalhando HÁ 150 dias…”

Quando houver a ideia de tempo decorrido, usamos o verbo HAVER ou o verbo FAZER (=”…FAZ quatro anos…” e “…FAZ 150 dias…”).

Observações:

1a) Os verbos HAVER e FAZER se referem a tempo PASSADO e devem ser usados somente no SINGULAR (=não têm sujeito);

2a) Caso a ideia seja de “tempo futuro”, devemos usar a preposição “a”: “Assinaremos o contrato daqui A quatro dias”;

“Voltaremos ao trabalho daqui A 150 dias”.

RESUMINDO... a frase da imagem acima "Não a vaga" está errada.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

JUNTO ou JUNTOS?


A palavra JUNTO só apresenta flexão (feminino ou plural)

quando é adjetivo. Observe alguns exemplos:

“As duas velhinhas moram JUNTAS.”

“Os livros estão JUNTOS na estante da esquerda.”

As locuções prepositivas JUNTO A e JUNTO DE (perto de, ao

lado de) são invariáveis.

“A sala de reuniões fica JUNTO AO ambulatório.”

“Os livros estão JUNTO DA estante da esquerda.”


O cão permanece junto da menina.


Observação:

Sou contra o uso da palavra JUNTO fora do seu real significado (=colado, unido, ao lado):

“Contraiu um empréstimo junto ao Banco do Brasil”. Só se foi no

vizinho! Na verdade, ele contraiu o empréstimo NO Banco do Brasil.

“Só resolverá o problema junto à diretoria da empresa”. Deve

ser no banheiro que fica ao lado!! Devemos resolver o problema COM a diretoria da empresa.


As mãos estão juntas.


segunda-feira, 6 de junho de 2011

MENAS???

Comprei menas coisas hoje.



A palavra MENAS não existe. Use sempre "menos". Mesmo que a palavra que segue seja feminina.

Fique de olho!



sábado, 4 de junho de 2011

MEIO ou MEIA?


A meia está meia suja.
ou
A meia está meio suja.

Se você escolheu a segunda opção, acertou!

MEIA: a metade
MEIO: um pouco

Comprei meia sacola de laranjas. (a metade da sacola de laranjas)
Estou meio cansada hoje. (um pouco cansada)





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores:

a/em nível de (1) Abreviaturas (1) Acentuação gráfica (1) Acróstico (1) Adjetivo Rosa (1) Advérbios (1) Agente / a gente (1) Anexo/Em anexo (1) Anne Lieri (1) Ao invés de (1) Apresentação (1) Atividade cerebral (1) Aumentativo de magro (1) Autores brasileiros (1) Biblioteca básica (1) Bill Gates (1) Comunicação (1) Concordância Nominal (1) Concordâncias (5) Crase (1) Curiosidades (3) Datas especiais (3) Dia do Professor (2) Dicas de Redação (7) Dicas ortográficas (20) Dicas úteis (11) Dissertação (1) Ditados populares (1) Em vez de (1) Ensino (1) Erros de Ortografia (5) Escolas (1) Escrita (1) Expressões populares (1) Expressões redundantes (1) Figuras de linguagem (1) Filmes (1) Flexão (1) Gêneros de substantivos (1) Gramática (2) Há / A (1) Hífen (2) Humor (8) Ideias criativas (1) Idiomas no mundo (1) Internet (1) Jorge Amado (1) L. F. Veríssimo (1) Leitura (12) Lembrar e Esquecer (1) Libras (1) Literatura (2) Literatura Infantil (1) Literatura Mundial (2) Livros (7) Livros para baixar (2) Mais (1) Mal X Mau (1) Mas (1) Más (1) Meio/meia (1) Menos/Menas (1) Moral (1) Nenhum e nem um (1) Novo Acordo Ortográfico (1) Onde/Aonde (1) Ortografia (7) Os porquês (3) Particípios (2) Pensamentos (6) Perguntar / Questionar (1) Plurais de substantivos (3) Poema (2) Poesia (1) Pontuação (4) Proibido/Proibida (1) Pronúncias e grafias corretas (1) Prosa (1) Quadrinhos (1) Recebidos por e-mail (1) Reforma Ortográfica (1) Regência Verbal (2) Relax (1) Reticências (1) Slides (1) Smilebox (1) Soneto (1) SS/Ç (1) Sufixo MENTE (1) Sugestões e dicas (5) Técnicas de Redação (1) Testes de Ortografia (3) Testes profissionais (1) Textos criativos (3) Trás/traz (1) Uso da vírgula (1) Vendas de livros em 2011 (2) Verbo assistir (1) Verbo Chegar (1) Verbo Haver (1) Verbo Ser (1) Verbo ver (1) Verbos (5) Vídeo do blog (1) Vídeos (4) Vocabulário (3) Vocabulário gaúcho (1)

Ler é...

Ler é...
...viajar na imaginação!

Ler é viajar sem sair do lugar!

Ler é viajar sem sair do lugar!

Estudo não é castigo!

Estudo não é castigo!
É crescimento pessoal!